FAQ | Descontinuação do Índice de Isolamento Social

Março, 2021

Este documento foi criado para suportar eventuais dúvidas associadas à descontinuação do Índice de Isolamento Social criado em março de 2020 pela Inloco.

 

Por que o IIS está sendo descontinuado?

 

Ao longo do segundo semestre de 2020, a Inloco passou por mudanças substanciais no negócio. O Índice de Isolamento Social foi desenvolvido a partir da anonimização dos dados de localização, coletados através dos aplicativos mobile de nossos clientes de mídia, um mercado do qual a Inloco se retirou no segundo semestre de 2020. Nossa saída do negócio de mídia com a venda da solução, e a divisão do contrato com este segmento de clientes, resultou em uma queda natural no volume de dados. Isto vem resultando em mudanças relevantes no universo de usuários contabilizados no Índice de Isolamento Social. Para que nossa análise seja estatisticamente relevante, precisamos de um mínimo de usuários para estar presentes em uma região. O resultado importante é que valorizamos muito a qualidade das informações e inteligência de dados que compartilhamos e a queda nos dados poderia contribuir para a tomada de decisões com base em informações incompletas da região. É por esta razão principal e no interesse da transparência que estamos encerrando esta iniciativa neste momento.

 

Como a queda da cobertura de dados afeta a qualidade da informação do Índice de municípios e estados?

 

Hoje, no nível mais granular, temos os H3, microrregiões de área hexagonal. Na imagem ao lado vemos a composição das microrregiões distribuídas na cidade de São Paulo, por exemplo. Através de uma média ponderada das microrregiões, temos o Índice de Isolamento Social dos municípios sendo determinado. Para essa análise ser estatisticamente relevante, utilizamos na dashboard um filtro para disponibilizarmos os dados de isolamento apenas no caso de termos um número mínimo de 20 usuários observados no dia dentro das microrregiões. Dessa forma, se um município não tem nenhuma microrregião que atenda a esse filtro, ele é desconsiderado para eliminarmos o risco de qualquer viés na análise e, assim, eliminar também viés na composição do Índice de Isolamento do Estado. A eliminação de municípios faz com que a informação fornecida por Estado não represente a situação real em sua totalidade. Prezamos muito pela qualidade das informações e da inteligência de dados que compartilhamos e a situação descrita poderia contribuir para tomadas de decisão com base em informações incompletas da região, não seguindo nossos princípios de transparência e essa é a principal razão para o encerramento da iniciativa.

Imagens de exemplo do município de São Paulo antes e depois da queda de base, visão por H3. 

 

Como os governos dos estados e prefeituras utilizaram o Índice de Isolamento ao longo de 2020?  

 

O índice de isolamento da Inloco foi desenvolvido para auxiliar no combate à pandemia da COVID-19 nos estados do país. O índice consiste em analisar o deslocamento das pessoas em diferentes níveis, estados, cidades e microrregiões, mostrando através de gráficos e mapas. No nível mais granular, dentro do mapa das cidades são plotados polígonos, nomeados como H3, que mostram o Índice de deslocamento dentro de cada um deles, sendo possível ter uma visualização mais efetiva de toda cidade. O Índice de Isolamento é calculado como o número de usuários que não deixaram seu local de residência, inferido a partir da nossa tecnologia proprietária, em um determinado dia em relação ao total de usuários daquela mesma região - por exemplo, a cidade. Dessa forma, quanto maior o índice, maior o grau de isolamento estimado do local.

O objetivo do o índice foi mostrar a série histórica, iniciada em 01/02/2020, em uma visão mais macro, e aprofundar em regiões no caso dos municípios, para que fosse possível a identificação de regiões de menor isolamento social, de forma a municiar as autoridades na tomada de decisão de direcionar os recursos de segurança pública, comunicação e saúde no combate à pandemia.

O acesso às autoridades foi dado através de dashboards na ferramenta Tableau, como credenciais específicas e as visões gerais: nacional, estadual, regiões de saúde da OMS, municipal e por microrregião (H3). Em relação à periodicidade, os dados foram atualizados diariamente e disponibilizados às 8h. 

 

Como a tecnologia da Inloco obteve os dados para construir o Índice de Isolamento Social? 

 

A Inloco disponibilizou a seus parceiros e clientes um módulo de software, o qual é integrado aos aplicativos que estes parceiros e clientes desenvolvem. Os usuários que voluntariamente instalaram esses aplicativos, deram as permissões para a coleta de dados pela Inloco, que por sua vez informou claramente as finalidades previstas na sua Política de Privacidade. A tecnologia da Inloco detecta quando o dispositivo móvel permanece por períodos prolongados em determinada localidade e envia para os servidores da Inloco a informação do local e o número identificador de publicidade do smartphone (Advertising ID) para contagem da visita, sem identificar diretamente os usuários, pois a tecnologia da Inloco foi desenvolvida de forma a não coletar dados de identificação civil, como nome, RG, CPF, E-mail, etc.

No projeto de combate ao coronavírus (COVID-19), a Inloco excluiu os dados que possam identificar indiretamente os usuários, coletados para as finalidades previstas em sua política de privacidade, e aplicando as mais modernas técnicas de anonimização para trabalhar apenas com informações estatísticas.

 

A Inloco vende os dados dos usuários? 

 

A Inloco não realiza, sob nenhuma hipótese, a venda de dados para terceiros. No projeto desenvolvido especificamente para o combate ao coronavírus, os dados estatísticos estão sendo doados para os órgãos públicos. 

A tecnologia da Inloco não tem vínculo algum com empresas de telefonia. Os dados são gerados por aplicativos de parceiros e clientes com nosso módulo de software instalado, e apenas após o consentimento dos usuários destes apps.

 

A privacidade das pessoas está sendo respeitada?

 

A Inloco está em conformidade com todos os regulamentos de proteção de dados vigentes e não é capaz de identificar um titular de dados direta ou indiretamente. Coletamos o mínimo de dados necessários para proteger a privacidade das pessoas e não identificamos quem são os titulares dos dados. A Inloco não coleta dados de identificação civil (nome, RG, CPF), identificadores únicos estáticos dos dispositivos pessoais (IMEI e MAC) ou contas associadas aos dispositivos móveis (e-mail e telefone). O identificador do dispositivo é removido da base e substituído por dados criptografados e hasheados que não permitem a identificação dos titulares dos dados - em seguida os dados são agregados para acrescentar mais uma camada de segurança. Nenhum dado pessoal ou individualizado está sendo compartilhado com o governo para fins de combate à COVID-19. O Índice de Isolamento Social criado pela Inloco (disponibilizado publicamente) tem apenas informações estatísticas e anonimizadas sobre a pandemia.

 

Como é feita a autorização para a pessoa permitir que esses dados sigam para essa base de dados?

 

Como regra geral, os dados utilizados no combate à COVID-19 não são dados pessoais, são dados anonimizados e agregados, ou seja, não permitem a associação direta ou indireta a um indivíduo. Por isso, não precisam de autorização para serem compartilhados. A Lei Geral de Proteção de Dados define dados anonimizados como dado relativo a titular que não possa ser identificado e no art. 12 determina que os dados anonimizados não são dados pessoais. As análises compartilhadas com os órgãos públicos são anonimizadas, sem dados individualizados e sem tráfego de dados para a nuvem do governo. Os órgãos públicos terão acesso apenas a um painel de controle com visualizações agrupadas por cidades e microrregiões.  

 

O que a Inloco e os órgãos públicos fizeram é legal?

 

Sim. A principal questão atual de interesse público no Brasil é a preservação do direito à saúde, previsto no art. 196 da Constituição Federal. É também dever do Estado preservar a dignidade da pessoa humana e a inviolabilidade da privacidade, por isso, neste projeto de combate à pandemia, só estão sendo utilizados dados estatísticos, anonimizados, sem qualquer vinculação direta ou indireta a um indivíduo. A Inloco adota medidas concretas para a proteção da privacidade dos indivíduos em seu modelo de negócio, respeitando a Constituição Federal, o Marco Civil da Internet, o Código de Defesa do Consumidor, o Código Civil e a Lei Geral de Proteção de Dados. Em recente decisão de promoção de arquivamento de inquérito civil público movido pela Unidade Especial de Proteção de Dados do Ministério Público do Distrito Federal, o Promotor de Justiça Frederico Ceroy concluiu que “o modelo de negócio da empresa Inloco é legal, em face do arcabouço normativo existente atualmente, afinal não ocorre a coleta de dados que permita a vinculação direta ao titular dos dados pessoais”, consulta através deste link.

A Inloco não coleta, acessa, armazena, nem trata - de qualquer outra forma - dados pessoais adicionais de identificação civil, como nome, RG, CPF. A empresa também não cruza nem agrega os dados coletados com qualquer outra base externa, e utiliza todos os meios adequados para utilizar dados anonimizados no combate ao COVID-19. Mais informações sobre as políticas de privacidade podem ser acessadas neste link.  

 

Posso comprar os dados do Índice de Isolamento Social? 

 

Não. O Índice de Isolamento Social, disponibilizado até o momento de forma pro bono, através de termos de cooperação e doação ou parceria, será descontinuado, sem possibilidade de adquiri-lo comercialmente. Manteremos apenas a série histórica disponível, de 01/02/20 até 23/03/21, para os dados nacionais e estaduais diretamente na dashboard pública. 

 

Até quando os acessos dos estados e municípios ficarão ativos?

 

Os acessos ficarão disponíveis até dia 30/04/21, para que seja possível realizar a extração da série histórica - qual seja, de 01/02/20 a 23/03/21 - de todas as visualizações existentes, nacional, estadual, municipal, regiões de saúde definidas pela OMS e microrregiões (H3).  

 

A Inloco manterá o portal público por quanto tempo? 

 

O portal público será mantido no endereço atual, que pode ser acessado através deste link, até dia 30/04/21, sendo o dia 23/03/21 a última data de atualização. A partir de 01/05/21, o portal público será descontinuado e todos os acessos à URL do portal serão redirecionados para a plataforma do Tableau Public, na qual a série histórica dos dados do Índice de Isolamento Social estão hospedados, de  01/02/20 a 31/03/20. 

 

O que acontecerá com os dados após o encerramento do Índice e dessa iniciativa?

 

Desde a fundação da Inloco, o nosso compromisso fundamental é com a privacidade, e isso guia todas nossas ações. No início da pandemia e da distribuição do Índice, já deixamos claro que iríamos apagar os dados da base após encerrar esta iniciativa. Coerentes com o compromisso, no dia 31 de Março de 2021, deixaremos de coletar e atualizar os dados diariamente e iremos apagar os dados da base. Também iremos neste momento disponibilizar publicamente os índices diários já calculados por estado, desde o início do lançamento até o último dia do cálculo do índice. As informações estarão públicas no site https://mapabrasileirodacovid.inloco.com.br/pt/

Privacidade na In Loco

Protegemos a privacidade das pessoas. Todos os dados do estudo são agregados e não coletamos informações de identificação civil (nome, RG, CPF) ou contas associadas (e-mail e telefone). Os usuários voluntariamente instalam os aplicativos parceiros da Inloco e podem ou não permitir a coleta dos dados.